Prefeita de Anapurus Vanderly Monteles, se nega a pagar Reajuste do Piso do Magistério a Professores do Município

A prefeitura de Anapurus informou por meio de nota encaminhada ao Sindicato dos Servidores Públicos do Município. Que não pagará o reajuste do piso do magistério aos professores.

A negativa ao reajuste por parte da prefeita Vanderly Monteles, que por sinal também é professora causou revolta a categoria dos profissionais da educação . Tanto que a presidência do sindicato reuniu na tarde desta terça-feira (01) a classe para debater sobre mais esse direito negado pela administração pública. 


Segundo a categoria a prefeitura de Anapurus recebeu 17 milhões de precatórios e não pagou nada aos profissionais da educação; não concedeu abono, mesmo com um grande volume de sobra dos 70% e agora peita a lei do piso negando os reajuste de 33,24%. 

"Chega a ser revoltante saber que a prefeita mesmo sendo professora se nega a pagar nossos direitos, e ainda tem coragem de ir para as redes sociais pousar de boa gente e falar que a educação aqui vai tudo muito bem . Numa cidade onde professor é perseguido e desvalorizado, não há como haver educação de qualidade". Disse uma das professoras.
Ainda segundo dados da categoria no mês de Janeiro de 2022 entrou nos cofres do município mais de três milhões de reais, só do Fundeb . Mesmo assim Vanderly Monteles, diz não poder pagar, quando a folha não atinge 50% desse valor e teria que gastar no mínimo 70% desses recursos.

Outro grande problema são as escolas do município que vão retornar as aulas em estado de precariedade e risco do forro cair sobre a cabeça de alunos e professores.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Diga-se primeiro que o piso salarial de professores brasileiros é o pior entre os países verificados pela Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE).

    FONTE: https://oglobo.globo.com/brasil/educacao/professores-brasileiros-tem-salario-inicial-mais-baixo-entre-40-paises-diz-ocde-veja-lista-25199835

    Portanto, negar a concessão do reajuste do piso salarial aos professores do magistério agrava ainda mais a situação desses profissionais, alguns dos quais sobrevivendo a duras penas, lembrando que em 2020 não houve aumento do piso.

    No caso em foco, a revolta desse profissionais da educação diante da “negativa ao reajuste por parte da prefeita Vanderly Monteles” é por demais legítima e sua reivindicação plenamente justa.

    O reajuste salarial reclamado pela categoria, além de estar previsto em lei, é mais do que merecido pelo trabalho grandioso, produtivo e valoroso dessa categoria de profissionais tão importantes na formação de cidadãos e tão essenciais para o desenvolvimento da sociedade como um todo.


    ResponderExcluir