Cinco meses após tragédia, Grupo Mateus ainda não pagou indenização à família de vítima

Após 5 meses da tragédia em supermercado, o empresário e dono do grupo que leva o seu nome, Ilson Mateus, se recusa a pagar a indenização para a família da jovem Elane de Oliveira Rodrigues.

A reunião realizada para tratar sobre a reparação terminou sem qualquer tipo de acordo.

Blog apurou que foi feita uma proposta do valor da indenização, porém o dono do grupo Mateus não aceitou e, assim, segue adiando o pagamento da quantia.

Elane Rodrigues, que era colaboradora do grupo, foi vítima fatal do grave acidente ocorrido no dia 2 de outubro do ano passado no supermercado Mix Mateus, localizado no bairro do Vinhais, em São Luís.

O desabamento das prateleiras também deixou 8 pessoas feridas.

Ao iniciar as investigações, o Ministério Público apontou negligência na montagem e na segurança das gôndolas na unidade da Rede de supermercados e afirmou que o grupo estava dificultando o trabalho pericial do ocorrido.

Segundo a promotora do Consumidor, Lítia Cavalcante, que está a frente do caso, quem fez a montagem das prateleiras foi um montador de móveis, que chamava o vizinho para ajudá-lo no serviço.

Investigações apontam que um montador teria realizado a montagem das estruturas que desabaram no supermercado.

“Uma empresa única, de uma única pessoa e que quando se precisava, no próprio depoimento do montador, ele dizia ‘eu chamava meu vizinho, eu chamava uma outra pessoa’, para fazer uma estrutura daquela. O engenheiro Wesley afirmou que o CREA deixa muito claro que aquilo só deve ser montado por meio de um engenheiro civil ou se tiver solda, um mecânico, um engenheiro mecânico. Jamais, por um montador de móveis, de pequeno porte. Então a coisa começou errada nesse momento”, explicou a promotora.

Sem prazo de conclusão, o inquérito segue a passos lentos no MPMA, na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) e no Ministério Público do Trabalho (MPT) que apura os danos aos funcionários e à família da funcionária.

O grupo Mateus, por enquanto, não foi penalizado pelas causas do acidente.

Postar um comentário

0 Comentários