Idosa de 79 anos é morta a golpes de faca após assalto em Tutóia Maranhão

 A Polícia Militar prendeu nesta última segunda-feira (15), dois homens suspeitos de assassinar a golpes de faca uma idosa identificada como Mara Rita Passos Ferreira, de 79 anos. O crime aconteceu na cidade de Tutóia - MA.

As investigações apontam que o crime se trata de um latrocínio. Os suspeitos invadiram a casa da vítima durante a madrugada de segunda-feira para praticar um assalto.


Ao flagrar a ação dos criminosos, a idosa foi atingida por vários golpes de faca. Logo em seguida, o suspeitos fugiram do local levando uma TV e um botijão de gás. A vítima foi encontrada morta por familiares.

Segundo a polícia, eles foram presos ao tentar vender os objetos roubados. Após a prisão, a dupla foi levada para a Delegacia de Tutóia, onde foram autuados por latrocínio.


Fonte : G1MA

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Não faz muito tempo, uma outra idosa de 106 anos foi assassinada a pauladas durante um assalto a sua casa (fato prontamente noticiado aqui no blog da Rayssa - http://www.blogdarayssaaraujo.com.br/2018/11/idosa-de-106-anos-morta-pauladas-pode.html)

    Na ocasião, postamos um comentário condenando tamanha crueldade.

    Agora, o fato se repete. E mais uma vez uma idosa é brutalmente assassinada dentro da sua própria casa, sem chance alguma de defesa, por supostos ladrões, segundo a Polícia.

    Um crime bárbaro, repita-se, selvagem, brutal, monstruoso, cruel; desses de causar intensa repulsa social.


    A morte de dona Mara Rita e de tantas outras pessoas que foram assassinadas de forma cruel como ela - pessoas decapitadas, esquartejadas, esposas violentamente torturadas até a morte, bebês recém-nascidos jogados pelos pais em latas de lixo e ali abandonados para agonizarem até a morte, entre outras tantas monstruosidades - tudo isso - , nos leva (ou deveria nos levar) a uma reflexão sobre nós mesmos: o que realmente somos? Em que tipo de criaturas nos transformamos nessa nossa multimilenária marcha sobre a Terra??!!

    Se traçarmos um paralelo entre o presente e o passado distante, veremos que a sociedade humana de hoje pouco difere das culturas primitivas no que tange aos instintos selvagens que persistem adormecidos em um lugar profundo do nosso ego.

    Em épocas remotas, no meio dos bosques, na luta selvagem pela sobrevivência, matávamos uns aos outros por causa de uma fruta ou um peixe.

    Hoje, mata-se por um botijão de gás.

    Nos primeiros tempos de nossa existência, "homo homini lupus est" (o homem era lobo do homem).

    De lá para cá, milhões de anos se passaram, muita coisa mudou, o mundo evoluiu, as ciências avançaram, as tecnologias se incrementaram, somente uma coisa não mudou, somente uma coisa permanece: "Homo homini lupus est". O homem permanece lobo do homem.

    Antes do surgimento do Estado, a defesa da vida ficava por conta de cada um.

    Hoje existe o Estado, mas com a intensificação da violência e a disseminação do ódio no mundo, a defesa da vida tem se tornado uma laboriosa luta diária de "cada um por si, e Deus por todos nós".

    ResponderExcluir