3 de janeiro de 2019

BOMBA! Funcionários do gabinete de Júnior Verde irão denunciar deputado no MP

Deputado é acusado de ficar com parte do salário de assessores na Assembleia Legislativa.
As denúncias envolvem extorsão de parte dos salários de servidores; Verde demitiu cinco assessores que ameaçaram não repassar parte do dinheiro.
Familiares e pessoas ligadas a funcionários demitidos do gabinete do deputado estadual Júnior Verde (PRB) entraram em contato com o Blog do Domingos Costa na tarde desta quinta-feira (03) para denunciar o parlamentar.
De acordo com as denúncias, Verde – que não conseguiu renovar o mandato na eleição de outubro de 2018 – usou pelo menos cinco pessoas como laranjas para receber dinheiro de forma ilegal da Assembleia Legislativa.
Simone Ferreira do Nascimento, Adriano Ferreira Dias, Antônio Joatan de Barros Filho (pessoa ligada a uma gráfica), Filipe Aguiar Ferreira Lobo e Tatiana Aguiar Dantas Ferreira, estavam lotadas até o mês passado no gabinete do deputado e recebiam, cada, valores superiores a R$ 10 mil reais.
Entretanto, essas pessoas usadas como “laranjas”, tinha obrigatoriamente que repassar parte de seus salários  – a maioria, algo em torno de 80% – para o deputado. A entrega do dinheiro era feito por meio de seu ex-cunhado, Marcos Suede [irmão da psicóloga Sandra Lima, ex-esposa], assessor do parlamentar.
Tudo corria bem, muito embora as pessoas estivessem sendo enganadas, até que os cinco assessores foram surpreendidos com suas exonerações nesta semana. Em seus lugares foram nomeadas para receber o último mês de salário no gabinete de Júnior Verde: Janaína Oliveira Silva, Thamires Alencar de Carvalho, Laís Uchôa da Luz Castro (filha de uma vereadora do interior), Sirlene Mendes Azevedo e Andreia Costa Silva.
“Eles foram exonerados a partir da última terça-feira (1º), mas o pedido para a demissão foi formalizado desde o dia 27 de dezembro. O motivo para a demissão foi pelo fato deles perguntarem ao deputado o porquê de devolverem o último salário, pois mereciam, seria justo eles ficarem, uma vez que foram pessoas que sempre deram o ‘sangue’ pela campanha dele”, disse o denunciante que o blog prefere preservar o nome.
Indignado com a situação, dois dos familiares das cinco pessoas exoneradas fez revelações ainda mais escabrosas. “Inclusive, o décimo terceiro desse ano passado ele [Deputado Júnior Verde] também ‘tomou’, sob alegação que está devendo muito em decorrência da campanha eleitoral do ano passado. Esse cara era tão ruim que pegava dele as férias e até a restituição da declaração do imposto de renda”, revelou o segundo denunciante.
Ainda segundo as denúncias, a atitude de Júnior Verde em exonerar os assessores por outras cincos pessoas motivou elas “abrirem o bico” e denunciar o esquema. “Esse pessoal exonerado já o acompanhava há muito tempo, não foi justo o que esse deputado fez. Para você ter uma ideia, quando o dinheiro caia na conta dos assessores, era sacado logo no mesmo dia ou no máximo com 24h após para entregar ao Márcio [ex-cunhado] que, por sua vez, dava para o Júnior”, finalizou.
Por fim, os denunciantes contaram também que os assessores ficavam com apenas R$ 1.000,00 (mil reais) e os outros R$ 1.2000,00 (mil e duzentos reais), de forma que devolviam todo o restante. As pessoas eram submetidas a deixar parte de seu salário, caso contrário perderia o emprego.
– Outro lado 
O blog buscou contato junto ao deputado, mas não obteve êxito.

Um comentário :

  1. Tem que denunciar mesmo! Esses casos de extorsão praticada por parlamentares que usam comissionados como laranjas para receberem dinheiro de forma ilegal no legislativo são cada vez mais comuns no Brasil. Mas um dia a casa cai.

    Agora, o sr. Júnior Verde além de não ter sido reeleito, vai ter de se explicar com a Justiça... E que a justiça seja feita !!

    ResponderExcluir