Dor e comoção no último adeus ao sargento Ozienne Queiroz, em Chapadinha. - Blog da Rayssa Araújo | Notícias de Anapurus e Região

quinta-feira, 16 de março de 2017

Dor e comoção no último adeus ao sargento Ozienne Queiroz, em Chapadinha.


Foi sepultado no final da tarde desta quinta-feira (15), no cemitério Elson de Oliveira, no bairro Bom Vista em Chapadinha, o corpo do terceiro sargento do 16º Batalhão de Polícia Militar do Maranhão, Ozienne Queiroz, o mesmo morreu na manhã de ontem ao tentar evitar um assalto no centro da cidade. Queiroz foi atingido com um tiro de arma de fogo, morrendo minutos depois.

                                                                                  
Uma multidão acompanhou o cortejo que saiu de sua residência no bairro carente, antes teve uma parada na Capela de São Raimundo, logo em seguida, foi levado ao cemitério acompanhado de familiares, amigos e companheiros de farda.

O comandante geral da Policia Militar do Maranhão, Coronel Frederico Pereira e o comodamente do 16º BPM de Chapadinha Tenente Coronel Glauber Miranda acompanharam todo o cortejo.


Ao chegar ao cemitério foi feita uma celebração pelo Padre José Raimundo que veio de São Luís. Momento de muita dor e comoção, a todo instante a filha do PM, de apenas 7 anos chorava ao lado do corpo do pai que partia para sempre.
Visivelmente abalado pela perda do amigo de farda, o Tenente Coronel Glauber Miranda falou sobre a violência e forma trágica que perdeu o Policial “A violência não perdoa quem quer que seja, e dessa vez  a vitima foi um policial, mas poderia ter sido qualquer outra pessoa da sociedade. Não tomos mais palavras a dizer, a não ser deixar os nossos pêsames a família da Policia Militar e a do Sargento Queiroz, um grande irmão que nos deixa de forma trágica”. 


Como é de costume da Policia Militar, o sargento Queiroz foi homenageado com uma salva de tiros, momento foi de muita dor e comoção, amigos de fardas do PM não suportaram e quase todos choravam ao se despedirem do amigo. 
Salva de tiros.
Blog do Alexandre Cunha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário